Este website utiliza cookies de forma a garantir uma melhor navegação no nosso site.
Ao continuar a navegar no site, está a concordar com a utilização de cookies. Para mais informação, clique aqui

Weber Saint-Gobain - Official website of the company

Estudos em Desenvolvimento

SPOOLs - Sustainable POOLs

A Saint-Gobain Weber Portugal, em parceria com  a Universidade do Algarve e com a Cristal Pools, pretendem desenvolver um inovador conceito de piscina, mais sustentável em termos ambientais e económicos.

 

  • Sob o ponto de vista Ambiental, por envolver um conjunto de aspetos que em simultâneo, irão permitir:
    • Reduzir o consumo de materiais virgens;
    • Reduzir as emissões de CO2 e outros parâmetros durante todo o ciclo de vida;
    • Obter ganhos energéticos a partir da inercia térmica da envolvente da piscina;
    • Tornar mais eficiente a utilização da água, reduzindo as perdas.
  • Sob o ponto de vista Económico, por reduzir o número de intervenções de reparação nas piscinas convencionais atualmente existentes, aumentar a durabilidade das soluções e reduzir o consumo de energia em fase de utilização.

O projeto implica o desenvolvimento especifico de argamassas e betões mais duráveis em ambientes mais agressivos como piscinas, a elaboração de um manual de utilização e manutenção de piscinas e de metodologias de caraterização das condições de exposição dos materiais de revestimento de uma piscina.

Este projeto tem o financiamento do Compete 2020 sob a designação SPOOLs-nº 017718

PEP-Parede Eficiente Plus

A Saint-Gobain Weber (SG Weber), em parceria com o Instituto de Construção (IC) e o apoio técnico do Instituto Superior Técnico (IST/CERIS), pretende desenvolver uma solução de parede exterior multifuncional energeticamente eficiente, com preocupações de sustentabilidade ambiental. A solução compreende:

 

  • O tosco (alvenaria) da parede
  • O desenvolvimento centra-se num novo bloco térmico, constituído por cimento, agregados de argila expandida (Leca®) e adjuvantes capazes de obter um betão mais leve que os existentes atualmente no mercado (integrado numa geometria otimizada) sem comprometer as resistências mecânicas.
  • O bloco térmico de alvenaria deve, assim, compatibilizar elevada resistência térmica (maior ou igual a 1,6 m2.K/W) com resistência mecânica adequada (maior ou igual a 2,5 MPa).
  • As argamassas de revestimento e acabamento, com destaque para o material aplicado pelo exterior, uma argamassa térmica com propriedades isolantes melhoradas.
  • O reboco térmico deve compatibilizar uma baixa condutibilidade térmica (inferior a 0,040 W/m.K) com aderência adequada ao suporte (superior ou igual a 0,08 MPa). 

 

Este projeto tem o financiamento do Compete 2020 sob a designação PEP-nº 017417