Este website utiliza cookies de forma a garantir uma melhor navegação no nosso site.
Ao continuar a navegar no site, está a concordar com a utilização de cookies. Para mais informação, clique aqui

Weber - Saint-Gobain

Renovar paredes antigas em edifícios de caráter "histórico"

Problema

Os chamados edifícios de caracter histórico e/ou monumentos, muitas vezes com classificação como tal, revestem-se de um conjunto de preocupações e condicionantes específicos quando se ponderam ações de intervenção para reabilitação.

Por se tratar de edifícios de especial relevância, a maior parte das vezes de natureza pública, os requisitos associados a intervenções de reabilitação, ditados muitas vezes por entidades especializadas e respeitando um conjunto de especificações muito apertadas, colocam um conjunto de desafios especiais à natureza das soluções e materiais a utilizar.

No que à intervenção na reabilitação de paredes diz respeito, nomeadamente na aplicação de revestimentos de substituição, o respeito da natureza dos constituintes das argamassas intervenientes pela dos revestimentos e outras argamassas originais assume uma relevância adicional. A utilização de ligantes estritamente isentos de cimento torna-se um requisito fundamental na obtenção de materiais adequados à utilização em tais intervenções.

Adicionalmente, a utilização de componentes inovadores na formulação das argamassas, como seja a incorporação de um novo ligante com propriedades pozolânicas, contribui de forma relevante para o incremento das propriedades dos materiais, nomeadamente ao nível da proteção das paredes e da facilidade de utilização pelo aplicador.

Solução

As argamassas a utilizar na reabilitação das paredes antigas deverão apresentar características físicas e mecânicas adaptadas às da parede original, para que possam revelar-se duráveis ao longo do tempo. Por outro lado, deverão proporcionar à parede a revestir a proteção adequada à penetração de humidade e degradação mecânica, a regularidade superficial e o acabamento estético esperados.

Avaliar e preparar as superfícies a revestir, eliminando os materiais soltos, pouco coesos ou degradados e lavando com jato de água de baixa pressão. Regularizar a superfície preenchendo os buracos existentes com pedaços de pedra ou tijolo e a argamassa weber.cal antique (encasque). No caso de superfícies muito desagregadas, realizar uma camada geral de consolidação com weber.cal antique aditivado com weber.latex (mistura em água 1:5). As paredes deverão ser sempre bem molhadas antes da aplicação das argamassas de reabilitação.

Realizar a camada de regularização aplicando o reboco weber.cal antique, em camadas sucessivas de menor espessura com o máximo de 3 cm por camada e mínimo de 1 cm. O reboco pode ser aplicado manualmente ou por projeção com máquina de mistura contínua. Regularizar e sarrafar cada camada e talochar a camada final. Aplicar reforços com rede de fibra de vidro, pontuais ou generalizados, quando a estabilidade do suporte ofereça dúvidas.

Após endurecimento do reboco durante pelo menos 3 semanas, aplicar o acabamento decorativo colorido weber.cal decor sobre o suporte bem molhado. A aplicação deve ser feita barrando com talocha inox lisa, em duas camadas sucessivas com cerca de 1,5 mm cada. A textura de acabamento na camada final pode ser em areado fino, usando esponja ligeiramente humedecida, ou alisado, afagando suavemente a superfície previamente areada com talocha inox lisa.