Este website utiliza cookies de forma a garantir uma melhor navegação no nosso site.
Ao continuar a navegar no site, está a concordar com a utilização de cookies. Para mais informação, clique aqui

Weber - Saint-Gobain

Preparação de suporte

Para além da escolha e aplicação correcta dos produtos, uma adequada preparação do suporte é fundamental para o bom desempenho da solução.

1 - Planimetria

Como verificar se o suporte está plano? 

A planeza é verificada com uma régua de 2 m. Para permitir a colagem direta, os defeitos não deverão ser superiores a 5 mm em relação à régua. Se os defeitos num 1m2 forem superiores a 20% são considerados generalizados e devem ser corrigidos.

Nos pavimentos o suporte deve ter inclinação mínima de 1,5% direccionada para portas de saída ou ralos e tubos de queda no caso de coberturas ou terraços.

2 - Porosidade

Como verificar a porosidade dum suporte de cimento?

Se ao molhar o suporte a água demorar a ser absorvida este diz-se de baixa absorção e devem adaptar-se as colas a este tipo de suporte. Da mesma forma deve avaliar-se a presença de membranas de impermeabilização. (Neste caso, consultar a Saint-Gobain Weber para avaliação de compatibilidade).

 

 

Se a água for rapidamente absorvida, isto é, em menos de 1 minuto, o suporte é demasiado poroso. Neste caso, deve ser aplicado o primário weber.prim RP.

3 - Dureza

Como verificar se um suporte é suficientemente duro e resistente?

Verificar a dureza em vários pontos do suporte com ajuda de um prego. O suporte é duro se os riscos forem superficiais. Se o suporte não for suficientemente duro, deve ser eliminado e refeito para poder receber o revestimento.

Sobre suportes pulverulentos aplicar o primário weber.prim AD para aumentar a resistência da superfície. Em exteriores, consulte previamente a Saint-Gobain Weber.

4 - Aderência

Como verificar se um suporte antigo tem aderência?

No caso de suportes à base de cimento ou cerâmica é necessário antes da colagem de novo revestimento verificar se este se encontra aderente. Com a ajuda de um martelo verificar se existem zonas que soem a oco. Caso existam, é necessário retirá-las e refazê-las com nova argamassa ou com novas peças similares. No limite, realizar um ensaio de aderência e verificar a condição de aderência, no mínimo, de 0,3MPa.

No caso de interiores com suportes pintados realizar o teste da quadrícula, formando quadrados de 2x2mm numa superfície de 10x10cm. Se 80% dos quadrados ficar aderido à base a pintura é aderente, e pode receber novo revestimento utilizando a cola adequada.

5 - Limpeza

 O suporte deve estar limpo para permitir a aderência da cola.

O suporte deve encontrar-se sempre livre de poeiras, óleos, tintas ou qualquer outra substância que prejudique a aderência do cimento-cola. Em algumas situações pode ser necessário utilizar um primário de aderência.

Nos suportes de betão deve eliminar-se todos os restos de óleos descofrantes ou hidrófugos de superfície, assim como leitadas superficiais pouco resistentes mediante a utilização de jactos de água a alta pressão, jacto de areia ou escovagem.

6 - Humidade

O suporte deve estar seco, para garantir uma boa colagem.

Os suportes devem estar perfeitamente secos antes de colar o revestimento pelo que o excesso de humidade deve ser eliminado. Os suportes de base cimentícia não devem exceder os 10% de humidade antes da colagem. Os suportes à base de gesso não devem ter humidade superior a 3%. Dependendo das condições o gesso pode atingir este estado em 2 semanas ou em vários meses.

Comprovar que não existe humidade por ascensão capilar. Caso exista, é necessário proceder a um tratamento prévio específico de impermeabilização.