Este website utiliza cookies de forma a garantir uma melhor navegação no nosso site.
Ao continuar a navegar no site, está a concordar com a utilização de cookies. Para mais informação, clique aqui

Weber - Saint-Gobain

Conselhos Genéricos


Para que as soluções construtivas resultem na sua plenitude, é importante conhecer as melhores práticas de aplicação. Veja aqui alguns conselhos genéricos.

Condições Ambientais

Deve evitar-se a aplicação de argamassas em condições adversas, seja temperatura abaixo de 5ºC ou acima de 30ºC, sob chuva ou neve, ou sob forte exposição solar ou em superfícies muito quentes.

Em subterrâneos, deve garantir-se uma boa ventilação do espaço para evitar condensações, recorrendo, se necessário, a equipamentos auxiliares para o efeito.

Não se devem aplicar materiais sobre suportes encharcados em água.

Em caso de tempo quente ou sob vento ou sol intensos, deve-se molhar o suporte e proteger a superfície de aplicação da exposição solar directa.

Mistura

Para que a argamassa possua as características adequadas, dever-se-á sempre respeitar a taxa de água indicada pelo fabricante.

Para obter uma mistura homogénea, dever-se á usar misturador eléctrico lento, durante o tempo necessário para o efeito.

Projecção

Caso as argamassas sejam projectadas, dever-se-á regular a pressão do equipamento e a percentagem de água (dentro dos limites recomendados) de modo a que este possibilite uma projecção regular e uma consistência no produto que garanta a aderência ao suporte. Para além da eficiência do trabalho, a correcta regulação destes parâmetros permitirá também a durabilidade do equipamento de projecção.

Aplicação

Para evitar a contaminação das argamassas com óxidos, estas deverão ser aplicadas com ferramentas em aço inoxidável

Para garantir a impermeabilização, a espessura mínima de uma argamassa deverá ser, em qualquer ponto, a espessura indicada pelo fabricante

Em soluções de capa fina, as argamassas deverão ser aplicadas em duas ou três camadas (dependendo da área), cruzadas entre si.

Após a realização dos trabalhos, todas as ferramentas deverão ser bem lavadas, para que estejam em condições perfeitas para a próxima utilização, para além do respeito da durabilidade das mesmas.

Reforço

Para reforçar a resistência a fissuração, as argamassas poderão ser armadas com rede de fibra de vidro com tratamento alcalino entre camadas, respeitando sobreposições entre 5 a 10 cm no encontro entre telas

Juntas

Os revestimentos estão sujeitos a tensões em consequência das deformações provocadas pelas variações de temperatura e humidade, assim como pelas sobrecargas a que as construções estão submetidas.

Uma forma de aliviar ou absorver estes esforços, reduzindo a probabilidade do surgimento de fissuras ou descolamentos, é prever juntas no revestimento a executar.

- Junta estrutural - espaço regular entre duas estruturas, prevista no projecto, para aliviar as tensões provocadas pelo seu movimento.  

Devendo sempre ser respeitada, este tipo de junta deverá, no caso de impermeabilizações, ser tratada com banda elástomérica, cordão de espuma de polietileno e protecção superior.

- Junta de trabalho / fraccionamento - subdivide o revestimento em áreas mais pequenas, aliviando as tensões geradas.

Em impermeabilizações, este tipo de juntas deverá ser resolvida com banda elastomérica

Remates Perimetrais

As zonas perimetrais (cantos parede-pavimento e parede-parede) são especialmente vulneráveis a anomalias dado que são zonas de descontinuidade e de acumulação de tensões estruturais dos edifícios.

As soluções de impermeabilização devem prever o tratamento destas situações por utilização de meia-cana ou de banda elastomérica nos cantos, em conjugação com o material de base.

Pontos Singulares

Para que o trabalho tenha o resultado desejado, deverão ser sempre considerados os tratamentos adequados aos diferentes tipos de pontos singulares. Neste aspecto específico, deverá consultar a lista de situações e tratamentos em "tratamento de pontos singulares".

Protecção

Após a aplicação dos materiais, dever-se-á protegê-los da chuva durante as primeiras 48 horas de aplicação.

Potabilidade da água

No caso de aplicações em água potável, dever-se-á aguardar duas semanas, mínimo, antes de encher. A superfície deverá estar muito bem lavada e limpa. Em seguida deverá ser feita uma prova de gosto – caso a água apresente ainda gosto, dever-se-á aguardar alguns dias e proceder a novo enchimento.